Corpo e mente em harmonia

Um lugar de acolhimento e cuidado para o corpo e para a mente. Assim é o Espaço Terapêutico do Ronco do Bugio, um local em que cada detalhe é pensado com o maior carinho, para que os hóspedes tenham uma verdadeira experiência de bem-estar.

Combinando técnicas orientais e ocidentais e diversas práticas diferentes, o Espaço Terapêutico é como um refúgio antiestresse. “As pessoas têm cada vez menos tempo de cuidar de sua saúde como um todo e nós partimos do pressuposto de que muitos sintomas físicos têm causas emocionais, por isso utilizamos uma abordagem da medicina chinesa de que é preciso tratar o corpo para atingir a mente também. Procuramos mexer com a energia das pessoas”, afirma Fátima Majolo, coordenadora do Espaço Terapêutico e terapeuta holística.

Ainda de acordo com Fátima, a ideia do Espaço é mesclar diversas práticas e técnicas, de acordo com as experiências da equipe de terapeutas, e oferecer momentos de harmonia entre corpo, mente e o ambiente.

O local onde o Espaço Terapêutico foi construído também não foi escolhido à toa. “Cada cantinho, cada toque na decoração foi pensado para proporcionar boas energias e o fato de ele estar no meio da mata dá um toque ainda mais especial. A natureza abraça o nosso espaço”, completa Fátima.

Por trás dos arranjos

Palma, orquídea, lírio, bromélia… Independente de qual é a flor da estação, Cintia Aparecida Granjeiro sabe caprichar nos arranjos que enfeitam as suítes e o restaurante da pousada. A supervisora de salão ingressou na pousada como garçonete há seis anos e hoje dá auxílio aos funcionários e mantém a organização do espaço.

Uma de suas funções preferidas é a decoração. “Gosto muito de montar os arranjos! Aprendi com a Fátima Majolo e atualmente eu até confecciono enfeites para os casamentos que acontecem aqui”, conta Cintia. Inclusive, foi ela quem criou os arranjos de Ano Novo que fizeram o maior sucesso. “Teve um ano que montamos algo parecido e neste ano resolvemos incrementar os arranjos utilizando lentilhas, que têm tudo a ver com a data, além de dar um toque moderno e diferente”, explica. Além disso, Cintia gosta de atender e estar em contato com os hóspedes que passam pelo Ronco do Bugio.

E o aprendizado da jovem foi muito além dos arranjos: “Me deram oportunidade e eu consegui crescer. Mudei até na minha vida pessoal devido às experiências que tive aqui. Enriqueceu muito a minha educação!”.

Agora você já sabe o que está por trás dos arranjos espalhados pela pousada!

Nosso barman

 

Alex preparando drinques no deck da piscina

31 anos, disposto, criativo e bem-humorado. Esse é o Alex Sandro Vieira, nosso barman. Conosco há seis anos, ele está sempre atento para agradar a todos os paladares.

Alex ingressou na pousada como garçom e não demorou muito para se tornar o barman da casa. Seu interesse pela profissão veio aos poucos, depois de muita observação e experiência, que adquiriu enquanto trabalhou como assistente de Junio Brumer, gerente operacional, que era barman na época.

Hoje, seu trabalho também é a sua diversão: “Gosto muito de brincar com as receitas junto com os hóspedes; é uma relação bem interessante para mim, porque eu tento unir o gosto do cliente com a minha receita. Essa é a parte mais gostosa do meu trabalho”, conta Alex. Mas o rapaz tem seus drinques preferidos: “Adoro preparar caipirinhas, pois tenho mais liberdade de misturar ingredientes e fazer combinações exóticas, como pimenta rosa e dedo de moça, alecrim, hortelã, manjericão”, acrescenta.

E essas criações costumam fazer grande sucesso, como o Drinque de Verão do Ronco, feito com hortelã, menta, açúcar e prosecco.

Venha passar um fim de semana (ou uma tarde) com a gente e experimente todas as delícias que o nosso barman prepara!

A voz do Ronco do Bugio

Se você já fez reservas no Ronco do Bugio Pouso e Gastronomia com certeza conhece a Ana.

Atenciosa, agradável e divertida, Ana Bicev é responsável pelas reservas da pousada desde sempre (há oito anos). No início, Ana aceitou o convite para ajudar um amigo, ex-sócio da pousada, mas pouco tempo depois seu amor pelo novo trabalho foi maior, resultando no distanciamento da assessoria de imprensa, sua profissão a época.

Reserva após reserva, a relação de Ana com os hóspedes foi se estreitando cada vez mais: “Algumas pessoas me ligam para fazer a reserva e, quando nos damos conta, já estamos falando da família”, conta. Alguns hóspedes, assim que chegam ao Ronco, já procuram por ela. Porém aí vai uma curiosidade: Ana trabalha em um escritório em São Paulo, não em Piedade. Como grande parte das reservas é da capital, a pousada optou por criar o escritório de reservas na cidade.

Sempre muito solícita, também sugere suítes. “Às vezes um cliente me liga, conta o motivo da viagem e pergunta qual a suíte mais indicada para a ocasião. Quando voltam, me ligam para agradecer!”, explica Ana.

Ao longo desses anos, ela acumulou grandes histórias para contar, mas nunca se esqueceu de uma em especial: “Eram quase 22h de uma véspera de Natal quando o telefone de reservas tocou. O senhor do outro lado da linha queria algumas informações sobre a pousada e eu passei tudo, é claro. A conversa foi se estendendo, estendendo e quando eu menos esperava, ele confessou que só havia ligado porque estava sozinho e gostaria de conversar com alguém!”

Agora você já sabe quem te ajuda do outro lado da linha!

Comunidade entorno da pousada

O desenvolvimento da região é muito importante para nós, por isso desde o início pensamos em um caminho que pudesse ser trilhado junto com as pessoas que vivem em Piedade. A solução que encontramos foi capacitá-las e oferecer condições de trabalho.

“Recrutamos moradores da região tanto para o trabalho durante a construção da pousada, quanto para o quadro de funcionários que temos hoje. Oferecemos treinamentos e qualificação para que eles pudessem fazer parte de nossa equipe”, explica José Luíz Majolo, dono da pousada.

A preocupação para desenvolver o entorno da pousada é tão presente que também incentivamos o crescimento de nossos funcionários. Um bom exemplo é Luis dos Santos ,chef de cozinha, que começou como jardineiro. Junior Brumer, que começou como barman, hoje é o gerente operacional da pousada. “Sempre procuramos observar o potencial de cada um para ajudar a desenvolvê-los. E dessa forma acabamos por descobrir verdadeiros talentos”, afirma Gabriela Majolo, sócia-proprietária da Ronco do Bugio.

Equipe Ronco do Bugio

O Ronco do Bugio sempre buscou, desde seu início, contribuir para o desenvolvimento do entorno da pousada. Por isso damos tanta importância à mão de obra local. Nossa equipe é formada por 22 funcionários que trabalham na área do restaurante, cozinha, governança (limpeza das suítes), lavanderia e segurança.

“Selecionamos a equipe segundo a boa vontade e a disposição de servir, o que é essencial aqui na pousada”, explica a sócia-proprietária do Ronco do Bugio, Gabriela Majolo. E a escolha foi certeira, pois um dos grandes diferenciais da pousada é o atendimento: “Todos têm prazer em atender o hóspede, além de serem carinhosos e gentis”, elogia Gabriela.

E não é só isso. “Procuramos incentivá-los tratando-os com respeito e dignidade e fazendo com que queiram se aperfeiçoar, para que cresçam aqui dentro. Sempre que possível, oferecemos cursos de capacitação também”, conta a sócia-proprietária, que sabe que o incentivo é fundamental para que a equipe esteja sempre satisfeita e engajada.

De barman a gerente operacional

Sua contribuição no Ronco do Bugio começou cedo. Junio Brumer, 24 anos, está conosco há sete anos e hoje é peça essencial para o bom funcionamento da pousada.

Junio, que começou no Ronco do Bugio como barman, hoje é gerente operacional, coordena cerca de 20 pessoas e se especializa cada vez mais para executar bem todas as suas tarefas: “Já fiz cursos de sommelier, hotelaria e agora meu foco é mais em atendimento geral. Conforme assumo um novo cargo, procuro as qualificações”, conta.

Junio explica que para manter a pousada “nos trinques”, ele está sempre atento. “Os detalhes fazem toda a diferença no Ronco. Presto atenção em todos os cantos. Se uma parede está descascando, por exemplo, arrumamos e pintamos na hora”, explica. O gerente faz de tudo um pouco, mas confessa que suas tarefas preferidas são gerenciar atendimento e cuidar dos vinhos.

Toda essa garra vem do incentivo que ele recebe dentro da pousada. “Eles acreditam nos funcionários, então somos motivados o tempo todo, inclusive para fazer cursos. Tudo isso também nos estimula a sempre atender os hóspedes bem, com carinho”, diz Junio.